Para dignificar a raça humana – Cantos tibetanos

arbo,l 7

Para dignificar a raça humana

Cantos tibetanos murmuram no seu ritmo, a postura calma acompanha a sensação de sua existência. Durma, brinque e sonhe meu anjo; reverbera aqueles momentos e encontros com aquele que lhe deixou marcados traços. Coreia gritando: Eu sou livre!, com os braços levantados, para dignificar a raça humana…
A liberdade fará com que você se sinta de um modo especial no espaço etéreo e imaculado. Pavões azuis desfraldarão suas asas coloridas no jardim secreto e escondido. Você esquecerá e deixará os ressentimentos e as traições no canto mais distante, para começar sua doce transferência. Transferência limpa de orgulho e vaidades escondidas.
Ao longe, você ouvirá os trinados dos pintassilgos amarelos que balançam nos galhos de seus ninhos. Missões exaustas de sua mente desesperada para se esquivar da tristeza e lembrar de cada história e seu fim. Costelas de agulha pregadas, ao longo dos séculos, no retorno à inocência.
Os olmos antigos, lendários, trazem flores aromáticas de terras distantes. Vozes de sons de exportação de corais, que se adaptam ao nosso humor, contra todas as probabilidades. Melodias doces impregnam lindos campos de algodão branco. Melodias, belos sons de prata, reflexões poéticas cheias de esperança…
Poesia acesa com esperança em uma manhã. Esperança num mundo possível, num mundo de união entre os povos, ao amanhecer. Melodias de louvor, odes poéticos, belos reflexos de prata. Melodias de prata, canções de esperança dos homens, ao amanhecer. Sons, palavras, clarões de espelhos prateados. Palavras sussurram palabras ternas. São vozes ao amanhecer, vozes do povo, melodias profundas, mantras libertários. Canções do deserto são odes iridescentes. Melodias são poemas doces nas margens do Mar Morto. Palavras, doces palavras suspiram no coração do povo essênio. Paz, gratidão e verdade são doces melodias de amor da nossa bela mãe liberdade…
O olho da águia negra vai olhar através da porta selada com fogo e sangue. Realidade e ficção juntos irão dançar, em uníssono, no universo paralelo que vocês habitam em seus sonhos. Altruísta, ausente da vaidade, você será capaz de culminar com aquela fé cega que te emociona e te domina. Desprovido do mal, interiormente você é como um raio escaldante que eu respeito e admiro. Sua intriga flui em sua ansiedade e a turbulência sacode sua pequena natureza intacta, divina. Perfumes e essências sutis, fragrâncias amadeiradas exóticas inspiram nuvens de aromas mediterrâneos. Óleo de Argan e musk na sua pele laranja escura e bronzeada…
Você ouve, todo amanhecer, as tristezas e lamentos da terra. Terra nobre que te viu nascer pura e inocente. Lamentes que deixam impressões gravadas, tatuagens no chão árido. Solo sedento de água viva e gotas de chuva. Quieto meu filho, você alcança o topo das pirâmides do Egito. Você ouve o som do martelar na vibração terrestre, com grande clareza mental…
Energias positivas são aliadas para lhe dar toda a paz que você precisa e um equilíbrio justo, equitativo e pacífico. Manhãs que despertam seus sentidos, no amanhecer brilhante, quando você observa o céu nas dunas do deserto. A poeira atinge seu rosto infantil e juvenil nas tempestades de areia…

Maika Etxarri
Poesia e fotografia de direitos autorais

Anuncios

Acerca de palabrasdeluzypaz

Soy un espíritu libre poeta, enarbolando la bandera de la paz y libertad, en este universo existencial. Vivo en el eterno presente, aquí y ahora, bajo el poder del amor, sin la incertidumbre del mañana, sin la esclavitud del nuevo orden establecido mundial. Maika Etxarri Escritora, poeta, blogger y fotógrafa Autora del libro: La rosa del desierto
Esta entrada fue publicada en dignificar a raça humana, Maika Etxarri Poesia e fotografia de direitos autorais, Maika Etxarri Poesia e fotografia de direitos autorais Escritora, poeta e blogueira cidadã do mundo, Maika Etxarri Poesia e fotografia de direitos autorais Escritora, poeta e blogueira de Pamplona, Maika Etxarri Poesia e fotografia de direitos autorais Mulher escritora, poeta e blogueira cidadã do mundo, Maika Etxarri Poesia e fotografia de direitos autorais Poeta de Pamplona, Sin categoría. Guarda el enlace permanente.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s